Artigos

Avaliação Interna

AUTO-AVALIAÇÃO DO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE FORNOS DE ALGODRES

Objetivo

O objectivo da implementação do processo de avaliação interna é, o de, através do levantamento das práticas levadas a cabo na escola, conhecer aquelas que, por se revelarem positivas, deverão ser continuadas, e aquelas cujo défice de funcionamento deverá ser alvo de intervenção, de modo a conseguir melhorias. Com efeito, só através de um diagnóstico de funcionamento interno, a escola conseguirá intervir sobre as suas acções, promovendo a mudança de estratégias que visem optimizá-la enquanto organização, de modo a responder às expectativas da comunidade educativa. A obrigatoriedade da implementação de processos de auto-avaliação dos estabelecimentos de ensino não superiror foi estabelecida pela Lei N.º 31/2002, de 20 de Dezembro - Lei do Sistema de Avaliação da Educação e do Ensino Não Superior, que determina, no seu artigo 6º que A auto-avaliação tem carácter obrigatório, desenvolve-se em permanência, conta com o apoio da administração educativa e assenta nos termos de análise seguintes:

a) Grau de concretização do projecto educativo e modo como se prepara e concretiza a educação, o ensino e as aprendizagens das crianças e jovens, tendo em conta as suas características específicas;

b) Nível de execução de actividades proporcionadoras de climas e ambientes educativos capazes de gerarem as condições afectivas e emocionais de vivência escolar propícia à interacção, à integração social, às aprendizagens e ao desenvolvimento integral da personalidade das crianças e alunos;

c) Desempenho dos órgãos de administração e gestão das escolas ou agrupamentos de escolas, abrangendo o funcionamento das estruturas escolares de gestão e de orientação educativa, o funcionamento administrativo, a gestão de recursos e a visão inerente à acção educativa, enquanto projecto e plano de actuação;

d) Sucesso escolar, avaliado através da capacidade de promoção da frequência escolar e dos resultados do desenvolvimento das aprendizagens escolares dos alunos, em particular dos resultados identificados através dos regimes em vigor de avaliação das aprendizagens;

e) Prática de uma cultura de colaboração entre os membros da comunidade educativa.

Ano letivo 2011/2012

Equipa de auto-avaliação

  • Paula Balula (3º ciclo e secundário);
  • Nuno Sousa (3º ciclo e secundário);
  • Vítor Silva (2º ciclo);
  • Cristina Ventura (3º ciclo e secundário);
  • Manuel Achando (1º ciclo) Aposentou-se em Dezembro
  • Maria da Conceição Pires (Pré-escolar)

 Relatório de auto-avaliação

Ano letivo 2010-2011

Equipa de auto-avaliação:

  • Paula Balula (3º ciclo e secundário);
  • Nuno Sousa (3º ciclo e secundário);
  • Vítor Silva (2º ciclo);
  • Cristina Ventura (3º ciclo e secundário);
  • Manuel Achando (1º ciclo)
  • Maria da Conceição Pires (Pré-escolar)

 Relatório de auto-avaliação 

Ano letivo 2009-2010

Equipa de auto-avaliação:

  • Paula Balula (3º ciclo e secundário);
  • Isabel Cruz (3º ciclo e secundário);
  • Vítor Silva (2º ciclo);
  • Cristina Ventura (3º ciclo e secundário);
  • Jorge Gonzalez (1º ciclo)
  • Ana Maria Mendes (Pré-escolar)

Relatório de auto-avaliação

Style Setting

Fonts

Layouts

Direction

Template Widths

px  %

px  %